Tirantes Autoinjetáveis

Produzidos a partir de tubos sem costura, os Tirantes Autoinjetáveis Incotep possuem como principal característica a alta resistência mecânica atuando simultaneamente como elemento de perfuração e armadura estrutural. Apresentam uma seção vazada em toda a sua extensão que permite a injeção de uma calda de cimento sobre pressões que variam de 25 a 100 bars.

Em sua extremidade, é acoplada uma broca de perfuração, cujo modelo varia em função do tipo de solo. Essa broca apresenta orifícios laterais e frontais dependendo do tipo de solo, permitindo a passagem da calda de cimento, que sobre pressão contra as paredes do solo, podem formar bulbos com diâmetros variáveis de até duas vezes o diâmetro da mesma. Os Tirantes Autoinjetáveis Incotep são especificados pela nomenclatura, INCO, XX, TD.

INCO – Representa o nome do fabricante – Incotep.
XX – Indica o valor aproximado da carga de trabalho permanente suportada pelo tirante (em tf).
TD – Indica que o Tirante é confeccionado a partir de um tubo.

Produtos fornecidos por:

Solicitar Orçamento

Tirantes de BarrasCordoalhasTirantes AutoinjetáveisEnfilagemEstaca RaizEstaca HelicoidalFerramentas de Perfuração

Características Técnicas – Sistema Tubular


tabela1_caracteristicas_tecnicas

Observação: Módulo de Elasticidade 21.000 Kgf/mm².

tabela2_caracteristicas_tecnicas

Luva de Emenda

Porca de Ancoragem

tabela10_porca_de_ancoragem

Placa de Ancoragem



tabela13_placa_de_ancoragem

Anel de Grau

Aconselha-se a utilização da contra porca para tirantes permanentes.

tabela16_anel_de_grau

Contra Porca


Broca de Botão ou Boton

tabela19_broca_de_botao

Tricone

Cálculo da Capacidade de Carga de Tirantes Autoinjetáveis

A capacidade de carga da ancoragem dos tirantes pode ser calculada pelo método proposto pelos Engenheiros Engº Ivan Joppert Jr. Engº William Mallmann e Engº Walter Iorio, apresentado no SEFE V, o qual define a carga de ruptura, sendo:

sugerimos a favor de segurança usar os seguintes coeficientes: Considerando o pequeno numero de tirantes observados em areias argilosas/siltosas.

Metodologia Executiva

Os Tirantes Autoinjetáveis Incotep são executados por meio dos seguintes passos:

A montagem dos Tirantes Autoinjetáveis Incotep é muito simples e rápida, pois as barras, luvas, brocas e demais acessórios são fornecidos pela fábrica, bastando montar o tirante na própria obra.

A montagem se inicia pela instalação da broca na extremidade da primeira barra que será introduzida no solo. As demais barras são implantadas conforme a evolução da perfuração, com a junção das barras por intermédio das luvas de emenda.

No trecho correspondente ao ancorado, utiliza-se espaçadores soltos, a fim de evitar a quebra dos mesmos. Aconselha-se que as barras que irão compor o trecho livre recebam tratamento com graxa grafitada e a colocação de e tubo de PEAD.

tabela30_metodologiaexecutiva

tabela31_metodologiaexecutiva
tabela32_metodologiaexecutiva
tabela33_metodologiaexecutiva
tabela34_metodologiaexecutiva

O tirante é introduzido no solo com o auxílio de uma perfuratriz rotativa ou rotopercussiva com torque mínimo de 400kgm. Aconselha-se que a rotação para implantar o tirante no solo fique entre 50 e 90rpm e que o avanço seja feito entre 0,50 e 1,50m/min. Nos casos de se utilizar uma perfuratriz rotopercussiva, a vazão e pressão recomendadas para o ar deverá estar em torno de 750pcm e 10 bar.

Simultaneamente à introdução do tirante, é executada a injeção de fluído aquoso (água e cimento), que penetra no orifício interno do tirante e flui sob alta pressão até a broca por onde sai pelos pequenos orifícios lá existentes.

No trecho correspondente ao trecho livre, o fluído é composto por uma calda “rala” de água e cimento com fator = 0,80. No trecho ancorado, o fluído deve ser necessariamente composto por água e cimento com fator =0,50, injetado com pressão mínima de 25 kgf/cm².

A pressão da injeção da calda é um item muito importante, pois a dimensão do bulbo de ancoragem depende dela. Ela é função da granulometria e da consistência ou compacidade do solo, bem como da potência da bomba de injeção, itens impossíveis de controlar. Para tanto, deve-se utilizar os furos do tricone, conforme tabela de características técnicas, bem como alterar o traço da nata de água e cimento, visando adequar a sua viscosidade às necessidades de cada obra.

Após a implantação do tirante, é preciso aguardar o prazo de quatro dias (caso se utilize cimento de alta resistência inicial) ou sete dias (caso se utilize cimento comum) para a execução da protensão.
A protensão do Tirante Autoinjetável é realizada com o auxílio do conjunto macaco/bomba hidráulico (disponível para locação pela Incotep), instalação de placa de ancoragem, anel de grau e porcas para a ancoragem do tirante.

tabela35_terceiropasso